Cooperado deve ficar atento ao preencher cheque neste começo de ano

Um dos erros mais comuns no preenchimento de cheques ocorre no início de cada ano, quando alguns cooperados acabam se equivocando, pela força do hábito, na hora de datar o documento e colocam o ano anterior. Para evitar transtornos, a partir de 1º de janeiro os cheques deverão ser preenchidos com o ano de 2016.

A confusão é comum na virada do ano. Por isso, durante o mês de janeiro, para os cheques datados com o ano de 2015, as instituições financeiras irão adotar procedimentos de verificação para checar se o documento não foi emitido além do prazo permitido em norma para sua compensação – o prazo é de seis meses. Se for comprovado que, de fato, houve um equívoco no preenchimento do cheque, o mesmo será compensado normalmente.

Confira as dicas da Febraban para evitar problemas com cheques:

  • Emita sempre cheques nominais e cruzados;
  • Ao preencher cheques, elimine os espaços vazios, evite rasuras;
  • Controle  seus depósitos e retiradas no canhoto, inclusive as realizados com cartão;
  • Evite circular com talões de cheques. Leve apenas a quantidade de folhas que pretende utilizar no dia;
  • Quando receber um novo talão, confira os dados referentes ao nome, número da conta corrente e CPF e a quantidade de cheques do talonário;
  • Tome o máximo de cautela na guarda dos talões. Destaque a folha de requisição e guarde em separado;
  • Nunca deixe requisições ou cheques assinados no talão;
  • Destrua os talões de contas inativas;
  • Separe os cheques de qualquer documento pessoal;
  • Não utilize caneta hidrográfica ou com tinta que possa ser facilmente apagada. Evite canetas oferecidas por estranhos;

Investir em cooperativa é mais rentável

rentabilidade_blogDe acordo com dados divulgados pelo Banco Central do Brasil (BCB), a diferença entre as taxas praticadas na captação de recursos e nas operações de crédito do Sistema Financeiro Nacional (SFN) e do Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil (Sicoob) continuam aumentando.

A taxa média da captação de recursos (remuneração do depósito a prazo) do SFN, em setembro de 2015, foi de 10,8% a.a. (ao ano), enquanto a do Sicoob foi de 13,6% a.a., diferença de 2,8 p.p. (ponto percentual). Em junho deste ano, as taxas foram de 10,8% a.a. e 11,2% a.a., respectivamente (diferença de 1,4 p.p.).

Já a taxa média das operações de crédito (concessões ao cliente/associado) do SFN, foi de 29,3% a.a., em contrapartida, a do Sicoob foi de 24,8% a.a., diferença de 4,6 p.p. No sexto mês deste ano, as taxas foram de 27,6% a.a. e 21,1% a.a., respectivamente (diferença de 6,5 p.p.).

TAXAS DE JUROS – SICOOB X SFN (EM % A.A)

 

grafico